Uso de cheques no Brasil cai 93,4% desde 1995, segundo Febraban

Enviado por Maria em Domingo, 16 de Janeiro de 2022.

O avanço e popularização dos meios de pagamento digitais, como internet e mobile banking, e a criação do Pix em 2020 fez com que o uso do cheque no país mantivesse a queda verificada nos últimos anos. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira, 14, pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o número de cheques compensados no Brasil teve uma redução de 93,4% em relação ao ano de 1995, início da série histórica, quando foram compensados 3,3 bilhões de cheques.

No ano de 2020, a queda foi de 23,7%, quando foram compensados 287,1 milhões de cheques em todo o país. As estatísticas têm como base o Serviço de Compensação de Cheques (Compe).
"As estatísticas divulgadas pela Febraban revelam que o cliente bancário tem deixado, cada vez mais, de usar cheques, e optado por outros meios de pagamento, em especial os canais digitais (internet e mobile banking), que atualmente são responsáveis por 67% de todas as transações feitas no País, segundo a última edição da Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária", diz Walter Faria, diretor adjunto de serviços da entidade.

Em comparação, no primeiro ano de existência do Pix, foram feitas 7 bilhões de transações com volume financeiro de R$4 trilhões. De acordo com a última edição do Radar Febraban, desde sua implantação o serviço já tem a adesão de 71% dos brasileiros.

Fonte: Jornal O Dia