SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Uma supercoordenadoria para Pezão

Os ex-secretários Christiano Áureo e Alexandre Cardoso também devem voltar Além de abrigar os 15 partidos da coligação, a possível reeleição de Cabral vai privilegiar os homens de confiança do governador. O vice-governador Luiz Fernando Pezão é cotado para assumir uma supercoordenadoria de infraestrutura, que controlará áreas como Obras e Saneamento.

Pezão foi um dos responsáveis pela execução das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no estado e tem a simpatia do presidente Lula e da presidenciável líder nas pesquisas de intenções de voto, Dilma Rousseff (PT). A ajuda do governo federal será importante para a Copa e as Olimpíadas.
Outro nome com chances de integrar a equipe de Cabral é o deputado e candidato ao Senado Jorge Picciani, caso não consiga se eleger. Nas mais recentes pesquisas de intenção de voto, Picciani aparece em quarto lugar. Ele é cotado para a Secretaria de Governo. Há quem aposte, no Palácio Guanabara, que Picciani poderá assumir a Secretaria de Obras. Seu filho e deputado federal, Leonardo, já esteve à frente da Secretaria Estadual de Habitação, pasta que deverá ser usada para atrair novos aliados.

Com prestígio no governo, o secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, é nome certo para continuar no cargo, conforme Cabral já declarou publicamente. Régis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil, é outro nome certo para o secretariado, assim como Wilson Carlos, atual coordenador da campanha de Cabral.

Pela previsão dos aliados, dois ex-secretários deverão retomar: Christino Áureo (PMN), na Agricultura, e Alexandre Cardoso (PSB), na Ciência e Tecnologia. Os partidos menores também sonham com espaço.
PSL, PHS, PTC, PSDC, PTN, PRTB e PRP formarão um bloco na Assembleia Legislativa. A meta das legendas é conseguir, caso tenham uma boa votação, eleger oito parlamentares. A Alerj tem 70 deputados.
 

05/09/2010

Fontes de Notícias :