SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Servidor deve procurar setor de pessoal e a polícia em caso de suspeita de golpe

O tipo de golpe aplicado pela quadrilha desarticulada ontem pela Polícia Civil do Rio não atinge somente servidores da esfera federal. Funcionários públicos dos governos estaduais e municipais também são vítimas comuns. Chefes dos setores de pessoal das repartições aconselham atenção mensal aos pagamentos para evitar prejuízos financeiros.

Segundo eles, para se defender é necessário acompanhar todo mês os descontos feitos nos contracheques e, na primeira irregularidade, procurar o setor de pessoal da repartição, protocolar queixa e fazer pedido de ressarcimento. Depois é necessário ir até a Delegacia de Defraudações para registrar ocorrência policial e colaborar para que outros servidores não caiam nos golpes.

Recentemente, a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão teve que suspender a operação de crédito consignado para servidores da área de Segurança Pública devido à suspeita de fraudes na margem consignável desse grupo de funcionários.

Olho no contracheque
Para não ficar no prejuízo, o servidor deve analisar atenciosamente os dados no contracheque. Para isso, deve agir sempre que não garantir o recebimento do comprovante de pagamento em casa ou o acesso a ele pela Internet, mediante senha que deve ser mantida em sigilo. Se o servidor não receber o comprovante de pagamento, é imprescindível avisar ao RH. Mudança de endereço também tem que ser comunicada.
 

21/07/2010

Fontes de Notícias :