SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Os eleitos fora das urnas

Em todo o estado, 15 suplentes viraram vereadores. No Rio, prefeito se livrou de adversárias

Mesmo sem ter seu nome exibido nas urnas domingo, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) obteve uma importante vitória nestas eleições. Pelo menos dois dos sete vereadores eleitos para outros cargos nestas eleições fazem forte oposição a ele na Casa. Eles deixam a Câmara Municipal para dar lugar a políticos que, teoricamente, são mais ‘dóceis’. Em outras seis cidades, oito suplentes assumem vaga de vereadores.

Uma das que mais complicavam a vida de Paes na Câmara é Lucinha (PSDB), eleita para ocupar uma cadeira na Alerj. Natural da Zona Oeste, a tucana vai ser substituída pelo produtor de eventos e radialista Marcelo Arar (PSDB). Ele afirma que não será nem de oposição, nem da situação, mas trabalhará para seus eleitores. “Meu foco vai ser trabalhar para estimular o turismo e geração de empregos no Rio por meio do entretenimento”, promete Arar.

No lugar de Clarissa Garotinho (PR), uma das mais ferrenhas opositoras de Paes, entra o ex-vereador Argemiro Pimentel (PMDB), que volta à Câmara após dois anos. A volta de Argemiro ao Palácio Pedro Ernesto é curiosa. Ele precisou torcer bastante para a eleição de Clarissa depois de entrar com ação na Justiça Eleitoral para tentar tirar o cargo dela.

Pimentel alegava infidelidade partidária da filha de Anthony Garotinho, que saiu do PMDB para o PR depois de eleita. Clarissa venceu a batalha nos tribunais. Agora, ele entra para fazer parte da base de sustentação do prefeito na Casa.

Outro ex-vereador que volta ao Legislativo municipal é Luiz André Deco (PR), substituto de Liliam Sá (PR), que se elegeu deputada federal, Deco já foi indiciado por homicídio. Com base política na Praça Seca, em Jacarepaguá, um tradicional reduto de milicianos, Deco também foi indiciado na CPI das Milícias, na Alerj. Ele nega as acusações.

Também sai da Câmara Municipal uma figura tradicional da política carioca: Aspásia Camargo (PV), que se elegeu para a Alerj. Em seu lugar entra Dr. Edison da Creatinina. Com 2.573 votos, ele ficou na segunda suplência do PV. Médico do Hospital Pedro Ernesto, da Uerj, ele diz lutar pela popularização do exame que indica a presença da creatinina no organismo. A substância causa doenças nos rins, sua especialidade.

O troca-troca em outras cidades
A Câmara ainda ganha outros dois novos vereadores. Mudanças ocorrem em mais seis cidades. Eis a lista com os nomes:

RIO DE JANEIRO
O médico e ex-vereador Eduardo Moura (PSC) assume a vaga do correligionário Márcio Pacheco, que se elegeu deputado estadual.

Ex-procuradora-geral do Município, Sônia Rabello (PV) substitui Alfredo Sirkis, agora deputado federal.

PETRÓPOLIS
Márcio Arruda (PMDB)substitui Bernardo Rossi, que entrou na Alerj.

NITERÓI
Wilde Rocha (PDT) assume o lugar de Felipe Peixoto (PDT), que vai para a Alerj.

BELFORD ROXO
Gilvan Medeiros (DEM) substitui Waguinho (PRTB), que vai para a Alerj.

DUQUE DE CAXIAS
Nivan Almeida (PDT) substitui Samuquinha (PR), que se elegeu para deputado estadual.

NOVA IGUAÇU
Paulo Raunheitti (PTB) entra no lugar de Rosângela Gomes (PRB), que foi eleita para a Alerj.
Francisco de Andrade (DEM) substitui Xandrinho (PV).

SÃO GONÇALO
Fábio Soares (PPS) substitui José Luiz Nanci (PV).
José Carlos Tavares (PSB) entra no lugar de Rafael do Gordo (PSB).
 

06/10/2010

Fontes de Notícias :