SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Inflação oficial, enfim, recua

IPCA fecha junho em alta de 0,15%, uma forte queda frente à taxa de 0,47% de maio

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial de inflação medido pelo IBGE, fechou junho em 0,15%, um forte recuo frente a taxa de 0,47% observada no mês anterior. O primeiro semestre se encerra, então, com inflação acumulada de 3,87%, acima portanto dos 3,09% relativos a igual período ano passado.

Conforme esperado, o grupo dos alimentos e bebidas foi o principal peso sobre o índice de junho. O setor passou de uma inflação de 0,63% em maio para uma deflação de 0,26% em junho. Nesse segmento, a batata inglesa foi o grande destaque: de uma inflação de 6,02% em maio, o produto teve redução de 11,38% no seu preço no mês seguinte. O preço da cenoura acentuou a queda de 9,3% para 16,31%.

Entre os não alimentícios, a alta de preços foi de 0,28%. O grupo transporte também intensificou a redução de preços. Da deflação de 0,24% em maio, o setor apresenta uma redução de 0,61% nos preços em junho. A gasolina que havia subido de preço em 0,85% no quinto mês do ano, desvalorizou em 3,94% em junho, pesando sobre o setor. O etanol teve queda menos acentuada, de 11,34% em maio para 8,84% no mês seguinte.

Para o consumidor, o índice de preços (INPC) também desacelerou (de 0,57% para 0,22%). Neste caso, os produtos alimentícios tiveram queda de 0,29%, enquanto os não alimentícios subiram 0,45%. Entre as regiões pesquisadas, o destaque é Goiânia, onde a inflação alcançou alta de 0,60% puxada pelos alimentos. O Rio obteve destaque inverso: -0,16%.

08/07/2011

 

Fontes de Notícias :