SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Impugnações atingem quase 400 políticos

Lei da Ficha Limpa prevê impedimento de candidaturas em vários estados do País

Quase 400 políticos que pretendem concorrer a cargos públicos nas eleições deste ano tiveram suas candidaturas contestadas na Justiça Eleitoral. De acordo com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os condenados por tribunais não poderão ser candidatos devido ao impedimento previsto pela Lei da Ficha Limpa.

Dados preliminares da Justiça Eleitoral indicam que aproximadamente 20 mil políticos pediram registro para disputar as eleições de outubro.

A lista de candidaturas questionadas ainda deve crescer ao longo da semana, quando termina o prazo para o Ministério Público apresentar os pedidos de impugnação.

Pela interpretação da lei, sancionada no dia 4 de junho, deverão ser barrados até mesmo os políticos condenados no passado e aqueles que renunciaram ao mandato para fugir de processo de cassação. Entre os políticos que tiveram candidaturas questionadas pelo Ministério Público estão o deputado Jader Barbalho (PMDB-PA), que disputa vaga no Senado, e o ex-governador e ex-senador Joaquim Roriz (PSC-DF), que quer voltar a governar o Distrito Federal. Em 2001, Jader foi alvo de denúncia por fraudes na Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

Jader e Roriz renunciaram a suas cadeiras no Senado para evitar cassações. As impugnações terão de ser analisadas até 19 de agosto. Em tese, recursos ainda poderão ser encaminhados ao TSE e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em Alagoas, a Procuradoria Regional Eleitoral protocolou seis ações de impugnação de registro de candidaturas com base na Lei da Ficha Limpa. Entre as candidaturas está a do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), que disputa de novo o governo do estado.

Garotinho, Jackson Lago e Wilma Faria estão na lista

Entre os políticos do Rio com candidatura contestada na Justiça está Anthony Garotinho (PR), que tenta vaga na Câmara dos Deputados. Ele foi condenado pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico nas eleições de 2008.
No Rio Grande do Norte, a ex-governadora e candidata ao Senado Wilma de Faria (PSB) também teve a candidatura impugnada pela Procuradoria Eleitoral do Estado. A lista de impugnados atinge outros estados, como no Amazonas, onde o governador Omar Aziz Abdel (PMN), disputa a reeleição. Também fazem parte da lista no Mato Grosso do Sul, o ex-governador Zeca do PT, no Ceará, </CW>Claudio Henrique Vieira, vice na coligação PR-PPS, no Maranhão, o ex-governador cassado Jackson Lago (PDT) e em Santa Catarina, Rogério Novaes (PV), candidato ao governo.

14/07/2010
 

Fontes de Notícias :