SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Gabeira considera um 'escândalo' as compras sem licitação da Secretaria de Saúde

Conforme informações do jornal "O Globo", o candidato à governador do Rio pelo Partido Verde, Fernando Gabeira, classificou como escândalo a compra, sem licitação, de medicamentos e artigos hospitalares acima do normal pela Secretaria Estadual de Saúde, totalizando o gasto de R$ 81 milhões. Em uma visita à São Gonçalo na última terça-feira, o candidato pediu a punição dos responsáveis pela aquisição do material a preços bem mais altos, comparado aos pagos por outros estados. Ele ainda criticou seu adversário, Sérgio Cabral, declarando que o caso era um escândalo que estava abafado, e que é preciso mostrar aos responsáveis que o dinheiro está sendo mal aplicado.

Questionando a posição da secretaria sobre os produtos considerados emergenciais, lembrou que o atual governador não se manifestou sobre o ocorrido, dizendo que Cabral usa a mesma tática do PMDB "não é comigo, não aconteceu comigo". Sérgio Cabral se pronunciou por meio de nota, declarando que "se mantém atento às questões do governo e ao assunto da Saúde, acompanhando também os esclarecimentos prestados publicamente pela Secretaria de Saúde."

Economista rebate Gabeira: 'O Haiti não é aqui'
Um encontro em um restaurante, na Zona Sul do Rio, na noite da última segunda-feira, tinha como objetivo debater as propostas de governo de Gabeira. Porém, a polêmica sobre as UPPs, implantadas pelo governo Cabral, mudou o foco das discussões. O candidato do PV declarou que as unidades são uma experiência parecida com a realizada no Haiti. O economista André Urani, um dos organizadores da reunião, descordou de Gabeira, alegando que no Brasil há um conselho que reune prefeitura, seguradoras e distribuidoras de energia, e que em nosso país, a política não é superficial. "O Haiti não é aqui, Gabeira. Sinto muito, mas não é", disse André.
 

SITE DO SIDNEY REZENDE - 15/07/2010