SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Feriadão vai ser menor na Alerj

Pela primeira vez em anos, haverá sessão na ‘quinta-feira de cinzas’

A determinação da presidência da Assembleia Legislativa (Alerj) de realizar sessão na próxima quinta-feira, depois do Carnaval, vai colocar em prova a assiduidade dos deputados. Ontem, a medida, que não é tomada há pelo menos oito anos, segundo funcionários da Casa, foi tema de debate. Luiz Paulo (PSDB) defende a realização do expediente. Paulo Ramos (PDT) não crê que haverá quórum. Ambos, porém, dizem que vão ao Palácio Tiradentes no dia 10.

“A Casa só corre o risco de se desgastar se os deputados faltarem e não houver quórum. Virei aqui, mas há o risco de não haver sessão”, afirmou Paulo Ramos, que analisa se pede verificação de quórum na quinta. Caso não haja, ao menos, 36 dos 70 deputados no plenário, a sessão cai depois da verificação.

Luiz Paulo, autor de projeto para facilitar empréstimos a comerciantes da Região Serrana, previsto para ser votado no dia 10, defende que haja expediente.

“Tem que ter sessão, mesmo correndo o risco de não haver quórum. Inclusive, haverá de manhã reunião da CPI que apura a tragédia na Região Serrana”, argumentou.

Às 9h do dia 10, a comissão ouve os secretários estaduais de Ambiente, Carlos Minc, e de Assistência Social, Rodrigo Neves. Na Casa, há quem acredite que dois depoimentos tão importantes podem não ganhar a devida atenção por causa da data marcada.

À tarde, estão previstas as votações de projetos como o que institui a Semana de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente, o que declara o Dia de Ogum como patrimônio imaterial e o que institui o dia 29 de junho como o Dia da Colônia de Pescadores Z-14.

Deputados como Márcio Pacheco (PSC), Robson Leite (PT) e Janira Rocha (PSOL) garantem que irão à Casa.

PR ‘lava roupa suja’ em plenário

Clarissa Garotinho e Roberto Henriques protagonizaram ontem outra ‘lavagem de roupa suja’ do PR em plenário. Henriques criticou Anthony Garotinho, pai de Clarissa e presidente do PR, afirmando que ele usa seu blog como “Diário Oficial” do partido. A deputada reagiu. Depois da sessão, Henriques rebateu. Clarissa saiu do gabinete e voltou ao plenário para se defender.

04/03/2011
 

Fontes de Notícias :