SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Diário Oficial

quinta-feira, 18 Novembro, 2010

RUBENS GUIMARÃES DE MENEZES

Remove , Auditor Fiscal da Receita Estadual de 1ª Categoria, matrícula nº 0.119.680-7, da Inspetoria Regional de Fiscalização - Sul I, para a Inspetoria de Regional de Fiscalização - Norte, da Subsecretaria Adjunta de Fiscalização, da Subsecretaria de Receita, da Secretaria de Estado de Fazenda.

Publicado no D.O. 18/11/2010.
 

JOÃO CESAR DE QUEIROZ VERÇOSA

Remove o Auditor Fiscal da Receita Estadual de 1ª Categoria, matrícula nº 0.294.584-8, da Superintendência de Planejamento, Avaliação e Modernização, da Subsecretaria de Receita, para a Inspetoria de Regional de Fiscalização - Sul II, da Subsecretaria Adjunta de Fiscalização, da Subsecretaria de Receita, da Secretaria de Estado de Fazenda.

Publicado no D.O. 18/11/2010.
 

sexta-feira, 12 Novembro, 2010

Governo não tem previsão de criação de impostos, garante Paulo Bernardo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, sinalizou nesta quinta-feira, 11, durante o programa de rádio Bom Dia Ministro, que a possibilidade de retomada da CPMF, o imposto do cheque, deve sair da pauta das discussões. "A (presidente eleita) Dilma (Rousseff) já disse que não vai mandar proposta para o Congresso e se ninguém falar mais nesse assunto, acho que acabou o assunto", afirmou. Ele garantiu que o governo não tem previsão de criação de impostos.

Bernardo salientou que, durante o governo Lula, a arrecadação cresceu porque economia estava aquecida e, com isso, houve melhora da arrecadação. "O presidente Lula não criou impostos. Perdemos a CPMF, inclusive, cerca de R$ 40 bilhões anuais, e procuramos fazer adequações ao Orçamento", argumentou.

O ministro voltou a fazer analogia do governo com a economia doméstica, dizendo que se há interesse em fazer despesas, é preciso arrumar dinheiro. "É que nem em casa, não tem mágica."

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, sinalizou nesta quinta-feira, 11, durante o programa de rádio Bom Dia Ministro, que a possibilidade de retomada da CPMF, o imposto do cheque, deve sair da pauta das discussões. "A (presidente eleita) Dilma (Rousseff) já disse que não vai mandar proposta para o Congresso e se ninguém falar mais nesse assunto, acho que acabou o assunto", afirmou. Ele garantiu que o governo não tem previsão de criação de impostos.

Bernardo salientou que, durante o governo Lula, a arrecadação cresceu porque economia estava aquecida e, com isso, houve melhora da arrecadação. "O presidente Lula não criou impostos. Perdemos a CPMF, inclusive, cerca de R$ 40 bilhões anuais, e procuramos fazer adequações ao Orçamento", argumentou.

O ministro voltou a fazer analogia do governo com a economia doméstica, dizendo que se há interesse em fazer despesas, é preciso arrumar dinheiro. "É que nem em casa, não tem mágica."

12/11/2010.
 

Táxis ficam até 36,8% mais baratos com isenção de ICMS

Benefício tributário já está em vigor e termina em 2014

O benefício, que valerá até 2014, foi concedido pela Lei 5.836, publicada na última terça-feira. Para que tenham direito à isenção, os taxistas poderão trocar de carro a cada dois anos. Algumas revendedoras autorizadas de veículos parcelam o pagamento em até 60 meses. Confira ao lado outros exemplos de preços.

12/11/2010.
 

quinta-feira, 11 Novembro, 2010

BRUNO MENDES PATRICIO

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.
 

EDUARDO DOS SANTOS MELO

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.
 

CARLA MARIA MACEDO PERLINGEIRO DOS SANTOS

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.
 

YGOR URURAHY DE CARVALHO

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.
 

BRUNO VINICIUS DA FONSECA LIMA AMORIM

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.
 

HELOISA VERVLOET DE AQUINO

Concede aumento por triênios para o servidor.

Publicado no D.O. de 10/11/2010.