SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

As últimas da crise política estadual

Esta semana será muito importante para selar o destino do governador do estado do Rio, Wilson Witzel. Quarta-feira acontecerá a décima e última sessão da Comissão Especial do Impeachment. Aprovado, o relatório segue em frente para nova fase. O momento agora para o Palácio Guanabara é correr contra o tempo. Na Justiça Federal, Witzel joga as fichas em alguma decisão do Supremo ao seu favor que impeça o prosseguimento do trabalho dos deputados estaduais. No âmbito da Alerj, os palacianos devem entrar com um pedido de relatório alternativo pelo arquivamento. No âmbito político, a volta de André Moura como articulador. Ele, que havia sido mandado embora há pouco tempo, é mais uma tentativa de melhorar o ambiente do Executivo com o Legislativo. "Tarde demais", nos disse um fonte bem informada.

O retorno de Moura e o afastamento de Cleiton Rodrigues sinalizou que os dois não cabem no mesmo espaço. Porém, depois de muito refletir, Cleiton acredita que ambos possam somar a favor do governador. "Bombeiros" estão trabalhando para uma dobradinha, se o governador aprovar a ideia. Procuramos o ex-secretário: "A vida é uma roda gigante, sempre que for chamado ao bom combate lá estarei. Fui forjado na lealdade e na honradez, mais uma vez cumpri a promessa feita à minha família 'saí do jeito que entrei: limpo'. Eu continuo com minha convicção, o governador Wilson Witzel é um homem honrado e também sairá ao fim do mandato que lhe foi conferido pelo povo da mesma forma como entrou, limpo. Quanto ao secretário André Moura, desejo sorte e sucesso, é um experiente quadro da político nacional. Em relação à Alerj, tenho certeza que sob a condução do presidente Ceciliano, o julgamento será justo", disse. 

O DIA – COLUNA INFORME DO DIA

Fontes de Notícias :