SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Rio fecha 2017 com inflação maior que a média nacional

O Rio de Janeiro encerrou o ano passado com inflação maior que a média do país. Segundo o IBGE, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA, a inflação oficial do país) da Região Metropolitana fechou 2017 em 3,03%, enquanto a taxa no país foi de 2,95%. A taxa, no entanto, é menos da metade da registrada em 2016, quando os alimentos subiram mais e levaram o índice a 6,44%. Entre as 13 regiões pesquisadas, o Rio ficou com a sexta maior taxa. A maior inflação foi registrada no município de Goiânia, onde os preços subiram 3,76%.
Assim como no Brasil, o resultado no Rio foi influenciado pelo recuo dos preços dos alimentos. O grupo, que havia tido inflação de 1,75% em 2016, recuou 0,22% no ano passado. A categoria de artigos para residência também teve taxa negativa, de 0,09% (contra alta de 0,13% em 2016).
O maior impacto sobre a inflação carioca foi o plano de saúde, que subiu 13,6%, com impacto de 0,67%. Ou seja: não fosse essa alta, o IPCA regional teria sido de apenas 2,36%. A energia elétrica também subiu mais que no resto do país, com avanço de 12,04% (contra 10,35% na média do país). A gasolina foi o terceiro maior impacto para cima

Em contrapartida, os moradores do Rio pagaram menos pela passagem de ônibus, que ficou congelada no início do ano por decisão judicial. O serviço ficou 10,53% mais barato em relação a 2016. O segundo maior impacto foi a queda de 34,58% do feijão preto.

 

10/01/2018

Fontes de Notícias :