SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Novembro Azul: campanha destaca a importância da saúde do homem de forma integral

Por décadas, a prevenção ao câncer entre homens se restringiu à próstata. Com a mudança de conceito pelo Ministério da Saúde, o foco passou a ser a saúde do homem de forma integral. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Estado do Rio de Janeiro tem uma estimativa de 31.230 mil novos casos de câncer por ano. 

Com base nesses dados, o coordenador do Programa Estadual de Saúde do Homem, Giovani Dimas, faz um alerta sobre a importância da campanha do Novembro Azul, reforçando os hábitos de saúde e de prevenção masculina. Este ano a campanha tem o tema “Atenção Integral à saúde dos Homens e Medidas de Prevenção ao Adoecimento” e é voltada para homens de 20 a 59 anos. 

“Este mês é muito emblemático porque tem como objetivo sensibilizar os homens e os profissionais de saúde quanto às ações do autocuidado, mas com uma visão global. Devem ser ressaltados os fatores socioculturais relacionados à masculinidade, seu adoecimento, promoção, proteção e prevenção”, esclarece Dimas.

 Dentre os cânceres que mais acometerão os homens em 2020, de acordo com dados do Inca, figuram o de pele não melanoma (10.600 casos), próstata (6.440), cólon e reto (2.450), traqueia, brônquio e pulmão (1.610) e cavidade oral (1.190). Dados que evidenciam os cuidados de uma forma integral.

 “A relevância da ação acerca da saúde da população masculina inclui o planejamento das atuações e a organização dos serviços de saúde, e não deve se restringir apenas ao mês de novembro, mas todo o ano, e ir além do rastreamento da próstata. Por isso, temos que incluir nesse cuidado as vivências familiares, laborais, promoção do autocuidado, prevenção de doenças crônicas e infectocontagiosas”, aponta Giovani Dimas. 

Para o coordenador da Saúde do Homem, a abordagem ao público masculino deve passar pelo envelhecimento saudável, direito a uma licença paternidade na construção de vínculos saudáveis entre pai, a mãe e o bebê.  Bem como o amplo acesso às informações sobre cânceres de pele, pênis e de boca, que acabam não tendo tanta divulgação como o de próstata. 

“Tudo é uma questão cultural. A mulher é mais preocupada com a sua saúde, e o homem deve ter o mesmo cuidado. Sendo assim, ele precisa procurar uma unidade de atenção básica para controle da pressão, do diabetes, ter suas vacinas em dia, além de realizar consulta com clínico para avaliar seu estado geral. Saúde é papo de homem e deve ser incentivado”, aposta Dimas.

A porta de entrada para se prevenir o câncer em homens começa pela atenção primária à saúde, como as clínicas da família. Ainda de acordo com o coordenador do Programa Estadual de Saúde do Homem, ali se estabelece a relação médico-paciente com orientações sobre as várias enfermidades que acometem o grupo masculino, formas de prevenção e visitas periódicas ao longo do ano. 

Para assistências mais específicas, o Centro de Atenção à Saúde de Homem, que funciona na Policlínica Piquet Carneiro, na Tijuca, interligado ao Hospital Universitário Pedro Ernesto, do Governo do Estado, disponibiliza atendimento psicólogo, tratamento para disfunção sexual, realização de cirurgias ambulatoriais, além de encaminhamento a outras áreas de saúde quando necessário. 

Os pacientes são encaminhados pelo Sistema de Regulação (Sisreg), por meio das Clínicas da Família, Centros Municipais e Postos de Saúde. 

Em apoio ao Novembro Azul, o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, recebeu iluminação especial. A Secretaria de Estado de Saúde também iluminou algumas de suas unidades: Hospital Carlos Chagas, Adão Pereira Nunes e o Instituto de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE). 

Fontes de Notícias :