SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Fernandes no Governo

Candidato ao Palácio Guanabara pelo PDT, Pedro Fernandes, que apoiou Wilson Witzel (PSC) no segundo turno, deverá ocupar uma secretaria no futuro governo. Antes da eleição, Fernandes descartara a possibilidade, alegando que estudaria na França em 2019. "É possível que eu faça o doutorado em Ciências Políticas na Uerj e permaneça no Rio, mas o Wilson e eu nunca falamos sobre participação minha no governo. Marcamos um encontro para a próxima segunda-feira", diz Fernandes, que está nos Estados Unidos desde o dia da votação e retornará ao Brasil na própria segunda.

Segue
Na Assembleia Legislativa, deputados comentavam ontem que Pedro Fernandes articula para assumir a Secretaria de Governo responsável, entre outros fatores, pela articulação política. Fernandes rebate: "Isso é surpresa para mim. Ainda não conversei com o governador eleito após a eleição."

Caminhos separados
O apoio de Fernandes a Witzel no segundo turno desagradou ao presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, que optou por caminhar com Eduardo Paes (DEM). A divergência culminou com a desfiliação de Fernandes do PDT.

Falando em Witzel e Alerj
O governador eleito tem recomendado a políticos próximos que permaneçam neutros na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa. A restrição, é claro, não se estende aos deputados estaduais, que participam diretamente da escolha. A postura confirma a declaração dada por Witzel à Coluna afirmando que não influenciará no comando da Alerj "de nenhuma forma".

O DIA - COLUNA INFORME DO DIA

Fontes de Notícias :