SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Eleitor do Rio considera ser honesto e ouvir o povo traços mais importantes para político

A pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira mostra que, para os eleitores do Rio, o governador ideal deve " ser honesto " e "ouvir o povo ". No levantamento, a instituição pediu que os votantes apontassem duas características - de 15 opções disponíveis - que julgassem mais importantes para alguém que deseja assumir o Palácio Guanabara. Mais da metade (55%) escolheu a honestidade e 24% destacaram a atenção às demandas populares. A sondagem ainda revela que "ser novo na política" e "ter apoio do seu partido de preferência" não são lá prioridade para o eleitor fluminense (2% e 1%, respectivamente).

Dos entrevistados, 23% consideraram mais importante, como primeira ou segunda escolha de característica, "combater a corrupção". Em seguida, vieram "ser competente" (18%) e "ter experiência administrativa comprovada" (13%). Para 11% dos ouvidos na pesquisa, uma das duas qualidades fundamentais é "só prometer o que pode cumprir", e 10% escolheram a característica de "dar principal atenção aos pobres" e "ter ideias novas".

Para 6%, o político não deve estar ligado a nenhum grupo e para 6%, deve ser trabalhador. Outros 3% apontaram como uma das duas qualidades "ser a favor dos funcionários públicos" e apenas 1% considerou mais importante ser nascido e criado no Rio. Segundo o Ibope, 2% disse "nenhuma destas" e 2% não souberam ou não responderam.

O levantamento mostra que, na visão das mulheres, é mais importante ser honesto (56%), ouvir o povo (25%) e combater a corrupção (23%). Das entrevistadas, 18% escolheram "ser competente" em uma das duas opções e 14% apontaram que o político deve "só prometer o que deve cumprir". Se 12% delas prioriza "experiência administrativa", 11% vê como vital focar "atenção nos mais pobres".

As quatro opções mais escolhidas se repetem entre os homens, com percentuais semelhantes. Para 14% deles, porém, uma pessoa que queria ser governador do Rio deve ter "experiência administrativa comprada" e, para 12%, deve ter "ideias novas".

Segundo o Ibope, eleitores de 16 a 24 anos consideram mais importante o eventual candidato "ser honesto" (56%), ouvir o povo (35%) e combater a corrupção (23%) - o mesmo dos votantes de 55 anos ou mais (55%, 18% e 24%). Para os jovens, é importante também "ser competente" (18%) e "prometer o que pode cumprir" (16%). Os mais velhos também exaltaram a importância competência do político (16%).

Entre os menos escolarizados (até a 4ª série do Ensino Fundamental), a honestidade é o mais importante para 49%; ouvir o povo, para 20%; e combater a corrupção, para 17%. O Ibope apurou que a atenção especial aos mais pobres é uma das duas características prioritárias para 13% dos votantes deste segmento. A qualidade de "ser trabalhador" importa especialmente para 11% neste estrato.

Enquanto 55% dos eleitores com Ensino Superior elegem a honestidade como traço mais importante, 30% escolhem o combate à corrupção e 24% optam pela competência. Neste segmento, 21% valorizam ouvir o povo e 20%, a experiência administrativa.

Seis em cada dez eleitores (60%) vê a honestidade do político como característica mais importante no interior do estado. Nesta área, 24% escolheram "ouvir o povo" e 21%, "combater a corrupção". Em seguida, vieram competência (16%) e experiência (15%). Já na capital, que repetiu os três traços mais escolhidos, é virtude essencial "ser competente" para 18% e "só prometer o que pode cumprir" para 15%. Na periferia, que valoriza a integridade moral do político e o seu contato com o povo, o combate à corrupção foi menos citado (19%) e empatou com a competência, à frente da experiência (12%).

Fontes de Notícias :