SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Da esquerda à direita

Em busca de apoio para a disputa ao governo do estado, o PPS articula uma aliança que abarca partidos de centro-esquerda e de centro-direita. Até o momento, há namoro com PSDB, PSB e Rede. A coligação giraria em torno do nome do antropólogo Rubem César Fernandes, recém-filiado ao PPS, ao Palácio Guanabara. Ele é diretor da ONG Viva Rio, que prega o combate à violência. Presidente do PSDB-RJ, o deputado federal Otavio Leite não vê problema no fato de o PPS também procurar alianças com partidos de centro-esquerda, como o PSB de Alessandro Molon e a Rede de Marina Silva: "Estimo o Rubem César. Estamos dispostos a conversar. Ressalto que a nossa prioridade é um palanque forte para o (presidenciável) Geraldo Alckmin (PSDB-SP) no Rio", diz Leite.

PSB
Antes de se filiar ao PPS, Rubem César havia conversado com Molon sobre a hipótese de ser o candidato do PSB ao governo do Rio. Como a legenda não lhe foi garantida, optou pelo PPS. Ambos, porém, mantêm ótimo relacionamento.

Rede
Representantes de PPS e Rede planejam reunião para semana que vem. O partido de Marina chegou a cogitar lançar Miro Teixeira (Rede) ao governo, mas o próprio nunca colocou a questão como prioritária.

 

O DIA - COLUNA INFORME DO DIA

Fontes de Notícias :