SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Com 81% de reprovação, Pezão diz que não liga para pesquisas

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) minimizou neste domingo a baixa aprovação do seu governo, apurada por uma pesquisa do instituto Datafolha divulgada na noite de sábado. De acordo com o levantamento, 81% da população consideram seu governo ruim ou péssimo. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

— Não ligo para isso, pois não corro atrás de popularidade. Não serei mais candidato, então, não preciso disso. Nem me preocupo — desdenhou ele, reticente, antes de ponderar: — Só me preocupo com os salários dos funcionários e servidores. Agora, vou correr atrás e fazer o que for necessário. Até o fim de minha gestão, vou colocar isso em dia. Depois que todas as pessoas virem suas contas ajustadas, os índices vão melhorar.

Pezão se referia ao fato de que, na última semana, o governo pagou o salário de agosto a apenas cerca de 35 mil servidores (que recebem até R$ 3.322,72). Ainda assim, 38.607 funcionários ativos, aposentados e pensionistas continuam sem receber vencimentos. A dívida total de sua administração já soma R$ 271,2 milhões.

Numa tentativa de solucionar a questão, será publicado hoje um edital para a realização do leilão de ações da Cedae, que serão transformadas em empréstimo ao estado. Pezão enxerga a alternativa com otimismo. Segundo ele, a oferta vai gerar uma receita de R$ 2,9 bilhões. A previsão anterior, porém, era de receber até R$ 3,5 bilhões.

— Temos que manter a calma e a tranquilidade. Acredito que as coisas vão melhorar, de verdade — disse ele, voltando a ressaltar que se afastará do universo político ao fim de seu mandato. — No momento, sou candidato a deixar o Rio arrumado, com todas as contas em dia. Apenas isso.

Segundo o Datafolha, apenas 3% da população aprovam a atuação do peemedebista à frente do Rio, considerando seu governo ótimo ou bom, enquanto 16% avaliam a gestão como regular.

Na mesma pesquisa do Datafolha, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), obteve aprovação de 16% dos eleitores consultados. A gestão do prefeito do Rio foi considerada ruim ou péssima por 40% dos que responderam o questionário do instituto.

O Datafolha consultou 812 pessoas entre os dias 3 e 4 de outubro. No índice geral, Pezão recebeu nota 2, e Crivella ficou com 4,5.

Assim como o governador, o prefeito Marcelo Crivella preferiu não demonstrar qualquer preocupação com o resultado da pesquisa. Em nota lacônica divulgada ontem à noite, o prefeito nem se refere aos números do Datafolha:

“Agradeço a generosidade da minha gente sofrida e valente, na sua imensa maioria trabalhadora, humilde, modesta e honesta que, com impagável paciência e bondade, avaliou nosso governo nesses árduos meses de uma crise tão amarga. Peço a Deus que me ajude para que eu esteja à altura de servir a esse povo que amo tanto. Que possamos, juntos, melhorar muito nosso desempenho para construir o Rio de Janeiro dos nossos sonhos”, diz a íntegra da nota.

Na prefeitura, a situação financeira também não é muito diferente da encontrada no estado: servidores da administração reivindicam o pagamento da primeira parcela do 13º salário e o reajuste anual.

Ainda de acordo com a pesquisa do instituto Datafolha, 72% dos moradores do município do Rio têm o desejo de ir embora da cidade por causa da violência. A vontade de sair do Rio é majoritária em todas as regiões e faixas socioeconômicas. Para 74% dos entrevistados, o desempenho do governo Pezão na área de segurança tem sido ruim.

09/10/2017

Fontes de Notícias :