SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

A 4ª feira de cinzas da Alerj

Tão logo o Carnaval chegue ao fim, o Ministério Público Federal vai trabalhar na formulação de denúncias contra deputados estaduais no âmbito da Operação Lava Jato. Investigadores estão convictos de que, em breve, mais integrantes da Assembleia Legislativa vão se juntar a Jorge Picciani (MDB), Paulo Melo (MDB) e Edson Albertassi (MDB) na Cadeia Pública de Benfica. É muita papelada, mas o MPF quer rapidez.Também haverá velocidade no julgamento, pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região, de pedidos de habeas corpus. Eles serão analisados a cada quarta, quando a turma de desembargadores responsável pela Java Jato está completa. Esse rito começará no dia 21.

Celeridade
Na lista de habeas corpus a serem julgados, os que foram pedidos por presos preventivos que não têm foro privilegiado. Entre os avaliados, os solicitados pela defesa de Felipe Picciani, filho do presidente da Alerj, Jorge Picciani, e pelos advogados de Jorge Ribeiro, pai do vereador Thiago K. Ribeiro (MDB). Felipe e Jorge Ribeiro estão presos desde 14 de novembro.

Volta ao Rio?
Também será analisado sem demora o pedido de transferência do ex-governador Sérgio Cabral do presídio federal de Pinhais, no Paraná, para a Cadeia Pública de Benfica.

O DIA - COLUNA INFORME DO DIA

Fontes de Notícias :