SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Comissão dos royalties terá PMDB e PT no comando

Maiores partidos da Câmara vão ocupar principais cargos. Rio briga por espaço

Confirmada a criação da Comissão Especial na Câmara dos Deputados para discutir o novo sistema de partilha dos royalties de petróleo, uma importante vitória para o Rio de Janeiro, começa agora a disputa para saber quem ocupará as 25 vagas do grupo de trabalho. A indicação dos parlamentares será feita pelos líderes de cada partido.
A presidência e a relatoria — funções de destaque e influência nos trabalhos — deverão ser preenchidas pelo PMDB e PT, partidos com as maiores bancadas na Câmara. “Agora é um momento novo na Câmara. O melhor caminho é que a relatoria seja ocupada por um parlamentar paulista, estado recebedor de royalties mas em breve será também um grande produtor de petróleo”, opina Hugo Leal (PSC-RJ), que já solicitou que o partido indique o seu nome para compor o grupo de trabalho.
A Comissão Especial foi criada por um ato exclusivo do presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS), que a defendeu como a melhor maneira para discutir o assunto tão polêmico, que trata da divisão dos royalties entre estados produtores e não produtores de petróleo.

Segundo o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ), se os estados produtores incluírem 10 parlamentares na comissão, será muito bom. “Se colocarmos 12, será melhor ainda. Assim, poderemos defender os nossos interesses”, argumentou o parlamentar.

Picciani retorna à Câmara
Ontem, o governo do estado comunicou que o deputado estadual Rafael Picciani (PMDB) assume, na segunda-feira, a Secretaria de Habitação, no lugar do irmão, Leonardo Picciani (PMDB). Em terceiro mandato federal, Leonardo retorna à Câmara dos Deputados para integrar os debates em torno da defesa dos royalties do petróleo do Rio de Janeiro.
Aposentado, Cláudio Fadel, de 72 anos, também entrou na briga em defesa dos royalties fluminenses. Com a carta aberta nas mãos, ele protestou contra a intenção de tirarem os recursos do estado, o que pode afetar o RioPrevidência, responsável pelo pagamento dos aposentados e pensionistas.
 

03/11/2011

Fontes de Notícias :