SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Campanha do PT recomeça hoje na Baixada Fluminense

Dilma fará carreata com Cabral, Lindberg e Crivella. Principal missão do grupo: captar votos dos eleitores de Marina Silva

A candidata do PT, Dilma Rousseff, foi mais rápida do que seu rival na disputa do segundo turno das eleições presidenciais, José Serra (PSDB). Enquanto o tucano passa o dia hoje em reunião de trabalho, em Brasília, Dilma vem ao Rio de Janeiro para uma carreata que passará por Duque de Caxias, Belford Roxo e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Será o primeiro grande evento desta fase da campanha no estado onde Marina Silva (PV) superou Serra, com 31,52% dos votos, seu segundo melhor resultado no País.
Dilma desembarca às 12h30 no Aeroporto Santos Dumont e, às 13h, inicia a carreata em Duque de Caxias. A seu lado, vão estar o governador Sérgio Cabral (PMDB); os dois senadores que o Rio elegeu, Lindberg Farias (PT) e Marcelo Crivella (PRB); e deputados da base aliada. Principal missão do grupo: captar votos dos eleitores de Marina.

“A escolha pelo Rio se deve ao alto astral do estado, após as vitórias do Cabral e do Lindberg e do Crivella, que integram a base aliada. Isso, aliado à expressiva votação de Dilma no Rio”, afirmou o presidente regional do PT, deputado federal Luiz Sérgio.

Para o vice-governador Luiz Fernando Pezão, é um bom momento para lidar com a rejeição de eleitores evangélicos. “Esse problema com a igreja atrapalhou a campanha dela em todo o estado. Mas é possível reverter conversando com as pessoas”, acredita Pezão, referindo-se à onda de boatos divulgados na Internet de que Dilma seria favorável ao aborto.

Ontem, Marina Silva negou que tenha aceitado conversar sobre apoio a Dilma antes da convenção do PV. “Você sabe que sou uma mulher de processo”, disse, em conversa por telefone com o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra.

No Palácio Alvorada, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu seis governadores aliados e pediu que eles intensifiquem as conversas com Marina. Para o governador eleito no Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), é hora de Dilma dialogar com os eleitores da senadora . “Aqui no estado vou falar com lideranças e organizações sociais. Já temos uma base sólida”, disse ele.

Ciro Gomes volta, mas provoca
Oito meses depois de brigar com o PT porque queria ser candidato à Presidência, Ciro Gomes (PSB-CE) fez as pazes em grande estilo: será um dos coordenadores da campanha de Dilma Rousseff (PT) para o segundo turno, responsável por mobilizar o eleitorado do Nordeste. Apesar de Dilma ter vencido na região, a abstenção entre eleitores nordestinos no primeiro turno foi maior do que o esperado.

Ainda afiado, Ciro afirmou que a expressiva votação de Marina Silva (PV), que forçou o segundo turno entre Dilma e José Serra (PSDB), é uma “lição de humildade” para o PT: “Esse eleitor todo votou na Marina para olhar o debate mais claramente e dar uma lição de humildade que a gente precisa aprender”.

Sem palanque nos dois maiores colégios eleitorais do País, Minas Gerais e São Paulo, onde os governadores eleitos são tucanos, Dilma vai contar com o presidente Lula em São Paulo e com o vice, José Alencar, em Minas, para preparar seu terreno político.

Propaganda pode começar na sexta-feira
Com o resultado oficial das eleições proclamado ontem pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, a campanha eleitoral no rádio e na televisão pode começar na sexta-feira. A definição depende agora dos coordenadores de campanha dos candidatos Dilma Rousseff e José Serra. Eles devem acertar com a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) o dia exato para o início dos programas. O prazo máximo é 16 de outubro.

De acordo com a legislação eleitoral, o TSE proclama apenas o resultado das eleições para presidente, cabendo aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) proclamar os vencedores das eleições nos estados. A propaganda eleitoral só pode ser iniciada 48 horas após a oficialização do resultado.

As emissoras de rádio e TV devem separar 20 minutos para a disputa presidencial e 20 minutos para estados onde houver segundo turno para governador.
 

06/10/2010

Fontes de Notícias :