SINDICATO DOS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO

ÁREA RESTRITA

|

Aumenta número de denúncias contra propaganda irregular no Rio

A fiscalização do TRE-RJ está reforçando o número de equipes para rodar a cidade a duas semanas da eleições de 3 de outubro. Segundo o coordenador da Fiscalização da Propaganda eleitoral na capital, juiz Paulo César Vieira de Carvalho Filho, desde o início de setembro praticamente dobrou o número de denúncias de propaganda irregular na cidade. Entre as principais irregularidades estão a instalação irregular de placas e a manutenção de propaganda nas ruas entre 22h e 6h, o que é proibido pelas regras da campanha este ano.

Segundo Paulo Cesar, a legislação permite a colocação de galhardetes e placas móveis nas calçadas, desde que não impeça a passagem do público ou dificulte a visibilidade do trânsito. Não é permitida colocação de propagandas em postes, árvores, viadutos, túneis e jardins. Denúncias sobre propaganda irregular podem ser realizadas por meio de ligações para os telefones 2533-9955 e 2533-9797, do disque-denúncia. Ou através do email capital@tre-rj.gov.br.
De acordo com o juiz, os locais com maior número de irregularidades são os bairros da Barra da Tijuca, Recreio, Campo Grande e Madureira.

- Nós temos 12 equipes nas ruas retirando, enquanto os candidatos tem outras 50 repondo. Mas vamos intensificar e vale lembrar que, cada placa apreendida é informada ao Ministério Público Eleitoral e pode resultar em multas que variam de R$ 5 mil e R$ 20 mil, de acordo com a reincidência.
De acordo com o último balanço divulgado pelo TRE-RJ, dos 1.120 procedimentos realizados entre os dias 23 de fevereiro e dois de agosto, 544 placas irregulares pertenciam aos candidatos Jorge, Leonardo e Rafael Picciani, que lideram o ranking dos políticos que poluem as ruas do município do Rio. Candidato ao Senado, Jorge Picciani (PMDB), teve 220 placas retiradas, contra 163 recolhidas do candidato a deputado federal, Leonardo Piccini (PMDB), e outras 161 do candidato a deputado estadual Rafael Picciani (PMDB).
Outras campanhas também contribuem significativamente para a produção de lixo eleitoral, entre elas, a de Domingos Brazão (PMDB), com 155 artefatos, de Pedro Paulo (PMDB), com 142, Rodrigo Bethlem (PMDB), com 135, Sérgio Cabral (PMDB), com 128, Chiquinho da Mangueira (PMDB), com 117, Carlos Alberto Lopes, com 101, Dionísio Lins (PP), com 72 e Pedro Fernandes (PMDB), com 56.
 

21/09/2010

Fontes de Notícias :